Pensar na iluminação da sua residência como um projeto, ajuda você a se atentar a muitos detalhes que poderiam passar despercebidos e que fazem toda a diferença na ambientação e conforto dos espaços.  Uma boa iluminação pode valorizar a decoração da sua residência e até mesmo amenizar o que não merece tanto destaque. Pode parecer simples fazer um projeto de iluminação residencial, mas não é bem assim. É preciso conhecimento técnico para entender o efeito de cada lâmpada, onde utilizá-la, assim como identificar o melhor ponto para cada luminária, por isso, é recomendável que você contrate um profissional qualificado para realizar o seu projeto.

 

Veja algumas dicas sobre os tipos de lâmpadas mais usados nos projetos de iluminação.

Os tipos de lâmpadas variam muito e algumas delas são melhores para certas necessidades de iluminação. Algumas funcionam melhor para pé-direito alto, outras para decoração ou até mesmo para emoldurarem objetos focados. Quase todos os tipos já possuem versões em LED, que apesar de serem um pouco mais caras e terem a luz menos amarela, são muito mais econômicas e em poucos meses acabam compensando a sua troca. Outra característica dos LED é que não aquecem, diferentemente das lâmpadas halógenas.

Confira os tipos de lâmpadas mais usados:

  • Fluorescentes compactas e tubulares: muito utilizadas para iluminação geral, dentro de plafons. As tubulares são muito usadas em iluminação de cozinhas, ou até mesmo dentro de sancas quando precisam iluminar bastante.Rile-Campinas
  • Dicróicas: usadas normalmente para focar e destacar objetos. O ângulo de iluminação normalmente é entre 20º e 60º, por isso, seu alcance é restrito.
  • Par 20:a iluminação da Par 20 esquenta bastante, e por isso, é recomendado a troca pela Par20 LED que possui um efeito bem parecido na hora da iluminação. O uso é bem variado, mas é muito utlizado na iluminação do box do banheiro, sobre bancadas de estudo, corredores e etc.
  • Halógenas AR:possui um facho de iluminação bem menor que todas as outras, variando de 4º a 24º e por isso consegue focar um objeto mesmo em distâncias maiores.
  • Fita de LED:pode ser usada em sancas, abaixo de móveis, atrás de painéis, etc. Possui baixo gasto energético e muitas cores.
  • Cordão de iluminação:mais simples que a Fita de LED, e um pouco mais barato, o cordão de iluminação tem uma eficiência energética um pouco menor, possui uma luz mais fraca. É usada basicamente em sancas.

 

Para finalizar, lembramos que um projeto de Iluminação Residencial deve considerar não apenas a estética, mas também a função de cada ambiente e a relação que você terá com ele. O posicionamento das luminárias deve ser pensado de acordo com a decoração, sempre levando em conta o aspecto funcional . É importante descobrir o tipo certo de lâmpada para o efeito de iluminação desejado e o posicionamento que deve ter.   As características do produto precisam atender às necessidades do ambiente e não o contrário. O ideal é que você solicite sempre o apoio de um engenheiro ou arquiteto para lhe auxiliar. E lembre-se, a Rlile oferece uma variedade de materiais para o seu projeto. Se tiver alguma dúvida, consulte nossos atendentes.